Agendamento pelo WhatsApp
Olá! Clique em uma das opções abaixo e nós retornaremos o mais rápido possível.
Consultoria Empresarial

Avaliação Patrimonial Inventario Patrimonial Controle Patrimonial Controle Ativo



Consultoria Empresarial Passivo Bancário Ativo Imobilizado Ativo Fixo



Avaliação Patrimonial Inventario Patrimonial Controle Patrimonial Controle Ativo



Consultoria Empresarial Passivo Bancário Ativo Imobilizado Ativo Fixo



Entendo a Gestão Patrimonial

Gestão do Ativo Imobilizado


Controle do Ativo Imobilizado – sua empresa se beneficia dessa Gestão?

693-07-224

Ainda postergado por muitos gestores e contadores o Controle Patrimonial também conhecido como Controle dos Bens do Ativo Imobilizado ganha a cada exercício mais importância no meio empresarial, a seguir vamos detalhar sua importância e benefícios.

  • O que é o controle patrimonial?

O controle patrimonial também conhecido de controle dos bens do ativo imobilizado, tem como objetivo administrar de forma individualizada todos os bens que compõem o ativo imobilizado de uma empresa, seja esse gerido apenas para o controle físico ou também o controle físico monetário, mantendo informações detalhadas de cada ativo, tais como: descrição, número do patrimônio, data de aquisição, valor, características físicas, localização como unidades e centros de custos, entre outras informações como a depreciação mensal e acumulada, todo esse conjunto de informações deve ser consolidado em grupos de contas e centro de custos, para que os mesmos sirvam de suporte aos números contábeis.

  • Como dar o start nessa Ferramenta de Gestão?

Para colocar em prática o controle patrimonial, o primeiro passo é definir de forma detalhada o planejamento com as informações que a empresa tem por interesse obter com essa gestão, na sequência realizar de forma detalhada o levantamento patrimonial, ou seja, o inventário geral dos bens que compõem o ativo imobilizado da empresa, é importante atentar-se que nessa definição a empresa deve deixar claro se os bens contemplados nesse processo, serão os bens superiores ao valor de R$ 1.200,00 conforme determina o CPC 27, ou se serão, todos os ativos independente do valor, após todo o processo de levantamento, é fundamental que seja uniformizada as informações, para que a empresa tenha uma base coesa do detalhamento dos bens catalogados no levantamento patrimonial, dessa forma a empresa tem a primeira etapa do controle patrimonial, um ponto importante também para se colocar em prática, é o processo de conciliação físico x contábil, para que na sequência possam ser feitos os ajustes na contabilidade, e depois a avaliação patrimonial, onde todos os bens receberão um valor, e de forma geral esse valor é definido por meio do valor justo de mercado, com pesquisas baseados na similaridade dos ativos.

  • Caso esteja desatualizado, como atualizar?

Se a empresa dispõe de um controle patrimonial mesmo que o mesmo não esteja atualizado, o caminho natural para que esse controle possa ser utilizado é a realização do inventário, onde o levantamento detalhado ocorra e os itens que não fazem parte do inventário atual sejam inseridos na atualização do controle, e também seja identificado no controle “desatualizado”, itens que não mais estão na empresa, para que os mesmos sejam baixados, após todo esse processo, a empresa terá um controle ou um relatório atualizado de todos os bens que compõem seu ativo, dessa forma, é só fazer uma revisão nos procedimentos que contemplam as movimentações comuns na empresa, apresentar esse procedimento aos gestores e cobrar sua aplicação, assim a empresa poderá manter atualizado o controle patrimonial e preservar todo o trabalho realizado no levantamento dos bens do ativo imobilizado.

  • Realizar com a equipe própria ou com uma Consultoria Especializada?

É muito comum no mercado empresas identificarem a necessidade da realização da atualização ou implantação do controle dos bens do ativo imobilizado e optarem em realizar com a equipe interna ou seja de forma orgânica, e isso na grande maioria das vezes acaba sendo um erro estratégico, isso porque empresas de forma geral tem em seu quadro equipes enxutas, ou seja, pessoas que compõem o quadro de colaboradores com suas atividades definidas, e dessa forma não conseguem assumir um outro projeto da grandeza de um levantamento patrimonial, mas ainda assim quando ocorre essa definição em colocar os próprios colaboradores para a realização de um inventário geral, o mesmo acaba se estendendo por semanas e meses, e a equipe escalada para a sua realização, acaba muitas vezes tendo que voltar às suas atividades de origem e não conseguem dar a atenção devida a esse projeto, e quando o mesmo é concluído a precisão e a credibilidade do mesmo acaba não atendendo as expectativas iniciais, e isso é mais que comum identificarmos em empresas, entretanto, quando se define uma empresa especializada em gestão patrimonial com expertise de projetos dos mais diversos realizados, todo um planejamento é colocado em prática, profissionais qualificados são designados para a realização de cada etapa, e prazos são definidos e acompanhados no desenrolar do projeto, e com certeza em pouco tempo ou no tempo planejado, a empresa terá todo o levantamento consolidado em planilhas e relatórios finalizando e apresentando o projeto.

  • O foco deve ser na qualidade do projeto

Muitas empresas acham que a realização de um levantamento de qualidade do ativo imobilizado resume-se simplesmente a fixação das placas de identificação, e em alguns casos nem as placas são de qualidade, a realização de um projeto de controle patrimonial tem suas complexidades e atendendo as mesmas é que se consegue atingir a qualidade do projeto, entre alguns pontos podemos citar para o êxito do projeto, o planejamento inicial, a qualidade e a quantidade das placas utilizadas em todo o levantamento, a qualificação dos colaboradores ou terceirizados que farão parte do projeto, o conhecimento técnico dos gestores que conduzirão o projeto, a uniformização das informações, o processo de conciliação físico x contábil, o saneamento como forma de minimizar os ajustes contábeis, a confecção de laudos de inventário, a avaliação patrimonial do valor justo de mercado, da vida útil e o teste de recuperabilidade, e o laudo final de inventário e avaliação, além do suporte a Contabilidade, Controladoria e também empresas de Auditoria se for necessário.

Um conceito empresarial que vem ganhando forte representatividade no mercado, é a questão da governança corporativa, onde empresas de forma geral, buscam ter consistência em procedimentos e informações da gestão, dessa forma, ter claro o controle do ativo mobilizado que é utilizado para a formação de preços, custos e benefícios na apuração do imposto de renda e da contribuição social, além da abertura analítica do patrimônio da empresa e sua distribuição, são informações importantes que contemplam a gestão corporativa e são obtidas por meio da gestão do ativo mobilizado.

Um outro benefício que podemos citar do controle patrimonial estruturado de forma correta, é que o mesmo será o analítico ou o razão auxiliar, apresentando item a item com suas informações cadastrais, de valores, e localização dos números que compõem os saldos contábeis, das contas patrimoniais, custo corrigido, depreciação acumulada e também das contas de resultado quando contabilizado a depreciação mensal, ou mesmo as baixas dos bens do ativo imobilizado, tudo isso é obtido por meio de um controle implementado de forma correta e detalhada dos bens do ativo imobilizado.

Toda empresa deve utilizar a depreciação dos bens do ativo imobilizado, seja ela a depreciação linear obtida por meio da instrução normativa da receita federal, atendendo as taxas com base nas contas que os bens estão classificados, ou a depreciação societária por meio da avaliação da vida útil dos bens, entretanto, para se beneficiar dos números da depreciação isso somente poderá ocorrer para as empresas tributadas pelo lucro real, mas é importante atentar-se que caso ocorra uma fiscalização, é importante ter de forma clara os números e os bens que compõem mensalmente o valor depreciado que é utilizado na base de cálculo dos impostos, para que a empresa possa ter esse benefício e isso só é possível com o Controle Patrimonial.

  • Ferramenta de tomada de decisão

Quando citamos acima que todas as empresas devem realizar a depreciação de seus ativos, independente da forma de tributação ser, lucro real, lucro presumido, ou mesmo simples, isso se faz necessário pois a depreciação dos ativos deve ser parte integrante da formação do custo de produtos e serviços que a empresa comercializa, é obvio que a formação dos custos contempla outras informações, mas diante da representatividade do ativo mobilizado nas empresas, a depreciação torna-se um item relevante, e deve ser apurada corretamente para que não distorça essa formação, dificultando a comercialização de produtos e serviços, ou mesmo gerando uma falsa expectativa de lucro, quando o mesmo não ocorre.

  • Identificação analítica do patrimônio da empresa

Qual o gestor ainda não vivenciou a situação de querer saber quantos tipos de bens existem na empresa o estado de conservação dos mesmos e onde estão localizados? Essa é uma informação mais que comum vivenciada por empresas que tem por objetivo a tomada de decisão correta, seja essa decisão para novos investimentos, para a formação dos custos, ou mesmo para desimobilização do patrimônio, e caso a empresa não detenha o controle patrimonial, com certeza essa informação será parcial, baseada em achismo, e tomar decisão com base em informações parciais expõem gestores ao risco de erro, e isso deve ser eliminado de qualquer gestão.

Um processo que vem acontecendo com grande frequência no segmento empresarial é a realização de valuations para processos de M&A, compras e aquisições de empresas, e o fator ativo imobilizado é uma informação importante, para isso é fundamental que empresas tenham o controle patrimonial para que possam expor essa ferramenta de gestão, seja para a parte compradora ou a parte vendedora, você já imaginou uma empresa interessada em comprar ou investir em outra, e saber que a outra parte não detém esse controle, quais bens fazem parte da empresa que está sendo negociada? Essa informação vai ser colocada em prática no momento da negociação? Isso demonstra a falta de controle, a falta de gestão da empresa que está sendo negociada, e será que o levantamento para esse processo de Valuation e M&A será feito de acordo, contemplará todos os ativos da empresa? Sua empresa não pode esperar esse momento vir acontecer, é fundamental que tenha na cultura da empresa a necessidade de deter o controle dos bens do ativo mobilizado, independente de qualquer situação, e caso ocorra uma situação de valuation, da avaliação da empresa, um levantamento parcial ou nos bens de maior relevância monetária seja colocado em prática, para validar que todo o controle esta atendendo a essa questão.

  • Quando realizar e qual a periodicidade de revisão?

Na realidade a legislação não determina uma periodicidade para se realizar, nem tão pouco revisar, entretanto, as práticas geralmente aceitas em contabilidade e administração, requer o que a gestão patrimonial seja realizada por meio inicialmente de um inventário geral do ativo imobilizado no caso, e esse mantenha-se sob gestão com a realização a cada no máximo 24 meses de um inventário geral, ou em períodos menores de inventários cíclicos ou também chamados de inventários rotativos, isso tudo para dar maior segurança e transparência no quesito credibilidade e precisão das informações nesse grupo de contas.

  • Porque gestores acabam prorrogando ou mesmo deixando de lado essa Gestão?

O ativo imobilizado acaba tendo sua gestão negligenciada ou deixada de lado, por alguns gestores em razão de muitos se depararem com um grande valor de ajuste, e isso com certeza irá impactar muitas vezes negativamente no resultado da empresa, e quando a empresa é mensurada com base em resultados, busca-se então evitar colocar em prática o inventário geral, esse é um grande erro que gestores e administradores acabam cometendo, o ideal é a realização de um inventário geral e na sequência efetivar os ajustes necessários, para então fazer funcionar a gestão patrimonial, com responsabilidades e com procedimentos claros e objetivos, dessa forma é possível que a alta direção observe o comprometimento dos colaboradores e gestores com o patrimônio empresarial, isto é fundamental.

  • Como selecionar uma Consultoria para colocar em pratica o Controle?

Quando a empresa define que todo o projeto será conduzido por empresas terceirizadas, entra nesse momento um processo fundamental para a seleção da empresa mais qualificada para a realização do projeto, nesse caso é preciso atenção em alguns quesitos para que o projeto seja conduzido da melhor forma possível, entre eles podemos citar: uma empresa com vários projetos realizados, empresa com vários anos de mercado, empresas sem qualquer restrição financeira ou jurídica, empresas que a direção tenha qualificação e formação nas áreas que envolvem o projeto de forma geral: contabilidade, administração, engenharia e logística, e um ponto importante também que não pode ser deixado de lado é a apresentação após a evolução da discussão comercial de um cronograma contemplando todas as etapas do projeto essas são dicas importantes que não podem ser descartadas nessa definição.

  • Somos a AXS Consultoria Empresarial – Divisão de Ativos

A AXS Consultoria Empresarial está no segmento de inventário e avaliação do ativo imobilizado há mais de 10 anos, com projetos realizados em todo o território nacional, em empresas dos mais diversos segmentos, nossos trabalhos são realizados por profissionais com grande experiência na gestão de ativos, todo esse conjunto de conhecimento será colocado à disposição de nossos clientes, onde buscamos sempre realizar no menor tempo possível, dentro dos padrões aceitos com relação à qualidade, objetivando atender normas técnicas da ABNT e também do IBAPE, além da legislação contábil e dos CPCs: CPC 01 e CPC 27. Entre em contato vamos conversar e discutir detalhadamente o projeto patrimonial de sua empresa.

www.axsconsultoria.com.br

www.testedeimpairment.com.br

www.placadeativofixo.com.br

https://www.axsconsultoria.com.br/solucoes-em-controle-patrimonial-inventario-patrimonial

Canal Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCsLJqA8_7glKeEdlsW--ZHQ

e-mail: contato@axsconsultoria.com.br

+55 (15) 991051487 – (15) 988151487

Walber Almeida Xavier de Sousa - Diretor da AXS Consultoria Empresarial ( www.axsconsultoria.com.br ), atua como Consultor e Assessor em Gestão Empresarial em empresas de pequeno e médio porte, também como Conselheiro Empresarial e atuou também como Professor Universitário.

Formação Acadêmica:

  • Graduado em Ciências Contábeis (UNISO)
  • Pós-Graduado em Contabilidade Gerencial e Controladoria (UNISANTANA)
  • MBA em Gestão Empresarial (FGV)
  • MBA em Marketing Estratégico – (Athon)

Exclusivamente no mercado de Consultoria e Assessoria desde 2012.

  • Consultoria e Assessoria – Gestão Empresarial
  • Reestruturação de Pequenas e Médias Empresas
  • Gestão Estratégica de Custos
  • Renegociação de Dívidas Bancárias – exclusivamente empresarial
  • Inventário e Avaliação Patrimonial
  • Avaliação de Bens Móveis e Imóveis para Financiamentos e Seguros
  • Software de Gestão Patrimonial
  • RFID – Identificação por Rádio Frequência
  • Business Valuation
  • M&A – Fusões e Aquisições
  • Teste de Impairment (Recuperabilidade)

Estamos em Sorocaba – SP, atendemos o Brasil!!!

São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Vitoria, Salvador, Recife, João Pessoa, Aracaju, São Luiz, Fortaleza, Belém, Natal, Cuiabá, Campo Grande, Brasília, Goiânia, Palmas, Manaus, Rio Branco, Macapá, Boa Vista, BSB, Maceió.

 



Data: 07/07/2024




Compartilhar:


Quer ganhar uma consultoria grátis? Deixe seus dados abaixo: